FBRFITNESS (1).png
animation (4).gif

TESTOSTERONA

E ae, beleza?

Hoje vamos falar da nossa tão amada TESTOSTERONA!

Antes de começarmos, gostaria de dizer que esse artigo tem apenas caráter educacional e não serve como referencia para uso de medicamento algum.

Caso você opte por consumir algum esteroide anabolizante, consulte seu médico, faça exames e monitore sua saúde de perto!

Dito isso, vamos entender fisiologicamente como a Testosterona funciona e quais são as formas que a encontramos no mercado.

A TESTOSTERONA


A testosterona é um hormônio esteroide, ou seja, é um hormônio com base lipídica, tendo como “matéria prima” moléculas de colesterol.


Apesar dos homens terem níveis maiores de testosterona do que as mulheres (em média, 7 a 8 vezes mais), a testosterona não é um hormônio exclusivamente masculino (ao contrário muitos pensam), bem como o estradiol, não é um hormônio exclusivamente feminino.

Nos homens, a Testosterona é produzida em sua maioria pelas células de Leydig, que se encontram nos testículos. O número destas células é regulado pelos hormônios LH (Hormônio Luteinizante) e FSH (Hormônio Folículo Estimulante). Todo esse mecanismo complexo faz parte do eixo hormonal HPT (Hipotálamo-Hipófise-Testicular).



Nas mulheres, a Testosterona é produzida 25% pelos Ovários, 25% pelas Adrenais e o restante por meio da chamada conversão periférica.

A Testosterona, bem como todos os outros hormônios, trabalha com o mecanismo de Chave-Fechadura, ou seja, a Testosterona se liga aos ARs (Receptores Androgênicos) e uma vez ligada a eles, desencadeia uma série de processos bioquímicos.

Na musculatura esquelética a ligação da Testosterona aos ARs, de modo simplificado, aumenta a síntese protréica muscular, aumenta os mionúcleos (núcleo das fibras musculares), bem como o aumento de ARs nas células satélites. Ou seja, em um indivíduo que apresenta sinergia para hipertrofia, quanto maior os níveis de Testosterona e a sua receptibilidade (sensibilidade dos ARs), maiores estas respostas.

Mas a Testosterona não age apenas nos músculos, ela age em outros tecidos também.

Um exemplo disso é o cérebro. A Testosterona se liga aos ARs existentes no cérebro e interfere no nosso psicológico, podendo alterar nossos pensamentos, sentimentos, comportamentos e postura.

REDUÇÕES E CONVERSÕES

A Testosterona é um hormônio que tem suas funções primárias, mas também serve como “matéria prima para outros hormônios”, através de reduções e conversões realizadas por enzimas.

Dentro dessas reduções e conversões, as que são mais importantes mencionar são:


- A Conversão da Testosterona em Estradiol pela enzima Aromatase

- A Redução da Testosterona em Dihidrotestosterona (DHT) pela enzima 5-alfa-redutase.

Assim como a Testosterona é o hormônio responsável pelas características secundárias masculinas, o Estradiol é o hormônio responsável pelas características secundárias femininas.

Por conta disso, infelizmente, é fácil de encontrarmos usuários de esteroides desavisados, que não controlam os níveis de aromatase ou que bloqueiem a ação do Estradiol com ginecomastia (crescimento da glândula mamária em homens). Apesar deste não ser o único mecanismo capaz de provocar o desenvolvimento de ginecomastia, com certeza, ele é o principal.

Já o DHT é um hormônio mais androgênico que a própria Testosterona. É ele também o principal responsável pela alopecia androgênica (calvície com padrões masculinos), o surgimento de acne em usuários de esteroides e virilização em mulheres (desenvolvimento de características masculinas).

APRESENTAÇÕES MEDICAMENTOSAS

Primeiro de tudo é importante deixar claro que TODA Testosterona é BIOIDÊNTICA. Não existe esse mito que a mídia e alguns profissionais criaram de "Reposição com Testosterona Bioidêntica". O que pode ser verdade é que, os níveis plasmáticos de Testosterona com o uso desses medicamentos de "Testosterona Bioidêntica" sejam fisiológicos (níveis que são considerados normais nas pessoas) ou próximo destes. Isso ocorre unicamente pela concentração, e principalmente, absorção mais baixa destes medicamentos frente aos injetáveis. Porém, com cálculos bem feitos, é completamente possível fazermos com que os níveis de Testosterona fiquem dentro dos limites fisiológicos com qualquer medicamento a base de Testosterona, basta calcular a concentração desejada e a freqüência de administração através da meia-vida do medicamento.

Outra coisa importante de se observar é que a Testosterona é metabolizada muito rapidamente, o que faz como que a sua ação em nosso corpo seja muito breve.

Para contornar este inconveniente, os farmacêuticos e químicos ligaram à molécula de Testosterona ésteres que liberam as moléculas de testosterona em tempos diferentes.

Existem medicações que usam apenas um éster e medicações que usam um blend (mistura) de ésteres, como por exemplo, a Durateston©.

Dito isso, vamos aos tipos de medicamentos encontrados em ordem crescente de meia-vida:

TESTOSTERONA EM SUSPENSÃO:

A Testosterona em suspensão não é ligada a nenhum éster. É a molécula de Testosterona propriamente dita em uma suspensão aquosa.

Como a Testosterona em Suspensão não possui nenhum éster ligado à molécula de Testosterona, em comparação com os outros medicamentos a base de Testosterona, miligrama por miligrama, obviamente, ela é a Testosterona mais concentrada.

Meia-Vida: 1 dia.


Concentrações usuais: 100mg/ml

Usos comuns no esporte: Normalmente a Testosterona Supensão pela sua meia–vida muito curta não é muito utilizada no Bodybuilding, mas é bastante utilizada por levantadores olímpicos, basistas, strongmen, lutadores e atletas de outras modalidades antes das competições. No Bodybuilding, quando utilizada, é usada como pré treino.

Existem outras drogas que são utilizadas com a mesma eficiência ou até superior para a mesma finalidade, porém vamos nos limitar a Testosterona neste artigo.



PROPIONATO DE TESTOSTERONA

É uma Testosterona ligada a um éster curto. Por esse motivo tem uma maior concentração miligrama por miligrama que outros medicamentos a base de Testosterona com ésteres maiores.

Meia-Vida: 1-3 dias.


Concentrações usuais: 100-200mg/ml


Usos comuns no esporte: É utilizada normalmente como droga de ataque de um ciclo ou em um ciclo de cutting. A preferência de uso desta Testosterona em cutting, vem da observação empírica de que ésteres mais curtos de Testosterona parecem influenciar menos na retenção hídrica do que ésteres mais longos.




FENILPROPIONATO DE TESTOSTERONA

É uma Testosterona ligada a um éster curto. Por esse motivo tem uma maior concentração miligrama por miligrama que outros medicamentos a base de Testosterona com ésteres maiores.

O Fenilpropionato de Testosterona é um éster mais longo que o Propionato de Testosterona, mas ainda sim é um éster curto.

Meia-Vida: 2-3 dias.


Concentrações usuais: 60-100mg/ml


Usos comuns no esporte: É muito difícil de achar a apresentação dessa Testosterona pura, porém você encontrá-la em blends de Testosterona como a Durateston©.


ENANTATO DE TESTOSTERONA

É uma Testosterona ligada a um éster médio.

Meia-Vida: 4-5 dias.


Concentrações usuais: 200-300mg/ml


Usos comuns no esporte: É uma Testosterona muito versátil sendo utilizada tanto em bulking quanto em cutting, dependendo da estratégia.






DECANOATO DE TESTOSTERONA

É uma Testosterona ligada a um éster longo.

Meia-Vida: 6-7 dias.


Concentrações usuais: 100-300mg/ml


Usos comuns no esporte: É muito difícil de achar a apresentação dessa Testosterona pura, porém você encontrá-la em blends de Testosterona como a Durateston©.



CIPIONATO DE TESTOSTERONA

É uma Testosterona ligada a um éster longo. É muito utilizada terapeuticamente para TRT (reposição hormonal de Testosterona).

Meia-Vida: 8-10 dias.


Concentrações usuais: 100-300mg/ml


Usos comuns no esporte: É uma Testosterona muito utilizada em bulking e também, para usuários que fazem protocolos de Blast N’ Cruise, também é interessante na fase de cruise para manter os níveis de Testosterona altos.






UNDECILATO DE TESTOSTERONA

É uma Testosterona ligada a um éster muito longo. É muito utilizada terapeuticamente para TRT (reposição hormonal de Testosterona).

Meia-Vida: 21 dias.


Concentrações usuais: 250mg/ml


Usos comuns no esporte: No Bodybuilding ela quase não é utilizada, porém, usuários que fazem protocolos de Blast N’ Cruise, a utilizam na fase de cruise para manter os níveis de Testosterona altos.




BLENDS DE TESTOSTERONA

É uma mistura de ésteres de Testosterona. Alguns exemplos que temos são: Durateston©, Sustanon©, GigaTest, etc.


Gostou desse artigo?

Tem alguma dúvida?

Quer saber sobre outro recurso ergogênico?

Deixe seu comentário, dúvidas ou sugestão!!! Assim podemos sempre melhorar nosso trabalho e trazer informações que sejam realmente relevantes!!!

Eu sou o Professor Fábio Rocamora, Personal Trainer, Coach e Bodybuilder fundador da FBR FITNESS e idealizador do PROJETO KING SIZE.

Quer saber mais?

Cadastre-se no nosso site e receba todas as novidades!!! é Grátis!!!

Increva-se na página do Facebook , no canal do Youtube , Instragram e fique sempre por dentro das novidades!!!

Confira nossa plataforma de ensino PROJETO KING SIZE, se cadastrando você tem acesso a materiais GRATUITOS EXCLUSIVOS!!!

Consultoria pelo Whatssap (11) 99638-4382

Grande abraço e sucesso!!!

  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social
  • Instagram

© 2020 por FBR FITNESS.